Crema Lenitiva Protettiva 50+

49,50 

Um cosmecêutico indispensável e essencial também para aplicar depois dos tratamentos até nos que usam Ácido Glicólico, Laser, Rádio Frequência ou peelings intensivos.Ele protege dos raios UV enquanto suaviza e promove a reconstrução da camada hidrolipídica da pele.

Apresentação: frasco em spray de 150 ml

REF: 1618 COSMO Categorias: , ,

Informações Complementares

Aplicar e massajar o creme até que tenha penetrado totalmente na pele para garantir a ação calmante e fotoprotetora essencial.

Aqua, Octocrylene, Alcohol denat., Tris Biphenyl Triazine (Nano), C12-15 Alkyl Benzoate, Sorbitan stearate, Butyl methoxydibenzoylmethane, Microcrystalline cellulose, Glyceryl stearate SE, Acrylates/Octylacrylamide Copolymer, Squalane, Tocopheryl acetate, Oryzanol, Panthenol, Olea europaea oil unsaponifiables, Glycyrrhetinic acid, Hydrolyzed Hyaluronic Acid, Allantoin, Sodium PCA, Sodium Lauroyl Lactylate, Ceramide NP, Ceramide AP, Cholesterol, Phytosphingosine, Decyl glucoside, Disodium phosphate, Butylene glycol, Carbomer, Xanthan Gum, Ceramide EOP, Phenoxyethanol, Cellulose gum, Imidazolidinyl urea, Disodium EDTA.

Apesar de integralmente sustentada em fontes de referência com reconhecido valor e prestígio nacional e internacional, a informação contida nestas páginas não pode ser considerada como exaustiva ou, apesar de todos os esforços de melhoria contínua, isenta de incorrecções inadvertidas. As plantas e seus derivados utilizados na preparação de cosméticos e suplementos alimentares têm efeitos nutricionais, e podem interagir com medicamentos e outros suplementos. A sua inclusão em produtos para consumo humano obriga à prévia determinação de segurança, porém, essa segurança depende de uma utilização responsável. A Spell One e Biovip não assume qualquer responsabilidade por problemas decorrentes da má utilização da informação disponibilizada. Se precisar de aconselhamento específico, deverá recorrer diretamente a um profissional devidamente qualificado.

Principais Ingredientes

O abacate (Persea americana), é um fruto nativo do México e América Central, e distingue-se dos demais frutos, por ser pobre em hidratos de carbono e rico em lípidos, nomeadamente, em ácidos gordos monoinsaturados (MUFA). 

Vários estudos têm demonstrado que os consumidores de abacate apresentam níveis mais elevados de colesterol HDL sérico, menor risco de desenvolver síndrome metabólica, para além de contribuir para o controlo de peso, IMC (índice de massa corporal) e perímetro da cintura. Os efeitos positivos no perfil lipídico dos consumidores de abacate, poderão traduzir-se em benefícios ao nível da saúde cardiovascular. Isto deve-se não só ao seu conteúdo em MUFA, mas também à sua riqueza em fibras dietéticas (cerca de 6,8%) e fitoesteróis que poderão ter um papel secundário na redução do colesterol total. Em súmula, pode afirmar-se que o consumo de abacate tem potencial para diminuir os fatores de risco modificáveis de doença cardiovascular, nomeadamente, excesso de peso, hiperlipidémia, inflamação, pressão arterial e glicose sérica elevadas, hiperinsulinémia, síndrome metabólica e consumo de gorduras saturadas.

Para além de estar associado a melhor qualidade da dieta, o consumo de abacate contribui para o aumento no aporte de nutrientes importantes, nomeadamente de magnésio, vitamina A, C, E, K e vitaminas do complexo B. O magnésio está associado à saúde cardiovascular, assim como o potássio e a luteína, contribuindo para o controlo da pressão arterial e do stress oxidativo. O abacate promove, ainda, o aumento da absorção de alguns fitonutrientes bioativos lipossolúveis presentes noutros alimentos, como os carotenoides, que se acumulam no cérebro e nos olhos, contribuindo desta forma para a preservação destas estruturas. Os compostos ativos do abacate demonstram, portanto, efeitos positivos na prevenção e tratamento do stress oxidativo e de doenças degenerativas relacionadas com a idade. 

Quando aplicado diretamente na pele, o óleo de abacate tem como função a manutenção do filme hidrolipídico e a regeneração do tecido cutâneo, pela sua capacidade de aumentar a síntese de colagénio, muito importante em peles secas, danificadas e gretadas.

Bibliografia

1. Dreher ML, Davenport AJ. Hass Avocado Composition and Potential Health Effects. Crit Rev Food Sci Nutr. 2013; 53(7):738-750.
2. Fulgoni VL, Dreher M, Davenport AJ. Avocado consumption is associated with better diet quality and nutrient intake, and lower metabolic syndrome risk in US adults: Results from the National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES) 2001-2008. Nutr J. 2013.
3. Mahmassani HA, Avendano EE, Raman G, Johnson EJ. Avocado consumption and risk factors for heart disease: A systematic review and meta-analysis. Am J Clin Nutr. 2018.
4. Heskey C, Oda K, Sabaté J. Avocado intake, and longitudinal weight and body mass index changes in an adult cohort. Nutrients. 2019.
5. Ford NA, Liu AG. The Forgotten Fruit: A Case for Consuming Avocado Within the Traditional Mediterranean Diet. Front Nutr. 2020.
6. Bhuyan DJ, Alsherbiny MA, Perera S, et al. The odyssey of bioactive compounds in Avocado (Persea Americana) and their health benefits. Antioxidants. 2019.
7. Lin TK, Zhong L, Santiago JL. Anti-inflammatory and skin barrier repair effects of topical application of some plant oils. Int J Mol Sci. 2018.

O Ácido Glicirretínico deriva-se das raízes da planta chinesa licorice Glycerrhiza glabra (alcaçuz). Esse ingrediente pode proteger a pele dos danos celulares causados pela radiação UV e auxiliar no mecanismo de reparo do DNA da própria pele. Tem propriedades antioxidantes, antimicrobianas e anti-inflamatórias.

 

Bibliografia

1. Teelucksingh S., Mackie A.D.R., Burt D., Mc Intyre M.A., Brett L. and
Edwards C.R.W. The Lancet. Potentiation of hydrocortisone activity in skin by glycyrrhetinic acid. 1990, 1060-1063.
2. Martini MC et Seiller M. 3ème édition. Actifs et additifs en cosmétologie p 633-634. 2006
3. Akasaka Y, Yoshida T, Tsukahara M, Hatta A, Inoue H. Eur J Pharmacol 670, n° 1 (2011): Glycyrrhetinic acid prevents cutaneous scratching behavior in mice elicited by substance P or PAR-2 agonist. 175-9.
4. Saeedi M, Morteza-Semnani K, Ghoreishi MR. J Dermatolog Treat. The treatment of atopic dermatitis with licorice gel. 2003 Sep;14(3):153-

O Ácido Hialurónico, também conhecido por Hialuronato de Sódio, é um glucosaminoglicano natural formado pela ligação de glucosamina com ácido glucorónico. Ocorre naturalmente em vários tecidos e fluidos do corpo, mas principalmente na cartilagem articular e no fluido sinovial, sendo o principal responsável pela sua elevada viscosidade e propriedades lubrificantesprotetoras e amortecedoras na articulação. Sendo também abundante na pele e estando presente em tendões e cavidades serosas. É sintetizado principalmente por fibroblastos e queratinócitos, sendo que os condrócitos dependem dele para deposição da matriz da cartilagem e foi sugerido que desempenhe também um papel na fecundação e imunorregulação.

O Ácido Hialurónico desempenha um papel multifacetado na regulação de diversos processos biológicos, nomeadamente na reparação da pele e regeneração de tecidos. Considerado um humectante por excelência, possui elevada capacidade para absorção de água e consegue penetrar nas camadas superiores da epiderme, permitindo aumentar a coesão entre as células e assim proteger a pele de fenómenos de desidratação, tendo vindo a ser empregue como um dos componentes imperativos em produtos cosméticos e nutricosméticos. Entre as suas funções biológicas incluem-se a retenção de água na matriz, hidratação de tecidos, homeostasia da água, lubrificação, transporte de solutos, migração, divisão e interação celular, adesão neutrófila, reabsorção óssea, cicatrização e agregação e adesão de glóbulos vermelhos. Para além disto, também tem sido usado em cirurgia oftálmica, diagnóstico de cancro, como anti-inflamatório e imunomodulador e no tratamento de articulações inflamadas.
A progressão da osteoartrite com a idade leva ao declínio de ácido hialurónico, motivo pelo qual tem sido usado no tratamento desta patologia, bem como no controlo de dores articulares.

Em suma, o Ácido Hialurónico, naturalmente presente em vários tecidos no corpo humano, tende a diminuir com a idade, como tal desempenha um importante papel na saúde articular, nomeadamente na lubrificação da cartilagem, como antioxidante, analgésico, anti-inflamatório, condroprotetor, evita a degradação da matriz extracelular e tem efeitos de reparação na cartilagem. Para além do seu papel cicatrizante, reparador e hidratante da pele.

Bibliografia

1. Bukhari SNA, Roswandi NL, Waqas M, et al. Hyaluronic acid, a promising skin rejuvenating biomedicine: a review of recent updates and pre-clinical and clinical investigations on cosmetic and nutricosmetic effects. Int J Biol Macromol. 2018.
2. Gupta RC, Lall R, Srivastava A, Sinha A. Hyaluronic acid: molecular mechanisms and therapeutic trajectory. Front Vet Sci. 2019.
3. Gelse K, Pöschl E, Aigner T. Collagens – structure, function, and biosynthesis. Adv Drug Deliv Rev. 2003.
4. Becker LC, Bergfeld WF, Belsito D V., et al. Final Report of the Safety Assessment of Hyaluronic Acid, Potassium Hyaluronate, and Sodium Hyaluronate. Int J Toxicol. 2009.

As ceramidas são lípidos (óleos) que se encontram naturalmente na pele e constituem mais de 50% da sua composição. Por serem a parte mais abundante da pele, são essenciais para sustentar a barreira cutânea; essencialmente mantendo a pele unida e protegendo-a contra a desidratação, sinais de sensibilidade e agressões externas.

Para entender melhor as ceramidas, pense no seu estrato córneo (a camada mais externa da epiderme), como uma estrutura protetora semelhante a uma parede de tijolo. É composto por corneócitos (tijolos) mantidos num lugar por uma proporção definida de lípidos intercelulares, compostos por ceramidas, colesterol e ácidos gordos (cimento).

É por isso que as ceramidas são uma parte essencial para ter e manter uma pele bonita e com uma aparência jovem. A aplicação de ceramidas diretamente na pele protege a barreira cutânea e retêm a hidratação, para uma pele novamente luminosa e hidratada.

Bibliografia

1. Coderch, L., et al. (2003). Ceramides and Skin Function. American Journal of Clinical Dermatology, 4, pp. 107-129
2. Hon, K. L., Leung, A. K. C. e Barankin, B. (2013). Barrier Repair Therapy in Atopic Dermatitis: An Overview. American Journal of Clinical Dermatology, 14, pp. 389-399
3. Lew, B-L., et al. (2006). Ceramides and Cell Signaling Molecules in Psoriatic Epidermis: Reduced Levels of Ceramides, PKC-α, and JNK. J Korean Med Sci, 21, pp. 95-99
4. Uchida, Y. (2014). Ceramide signaling in mammalian epidermis. Biochim Biophys Acta, 1841, pp. 453-462
5. Young, S. A., et al. (2012). Sphingolipid and Ceramide Homeostasis: Potential Therapeutic Targets. Biochemistry Research International, 2012, pp. 248135-248147

Para a pele tem sido reconhecido como altamente benéfico por dermatologistas já que para a rotina de skincare é capaz de fornecer hidratação, efeito calmante e melhorar a textura da pele.

O pantenol também é chamado de pró-vitamina B5 e é uma forma de vitamina B5, naturalmente encontrada na pele e no cabelo.

Na verdade, a forma biologicamente ativa do pantenol, o ácido pantotênico, existe em todas as células vivasuma vez que é essencial para o metabolismo.

O pantenol como ingrediente cosmético tem muitos usos e sua eficácia tem sido verificada por especialistas que incluem uma capacidade eficaz de hidratação, efeito calmante e aumento da aparência da elasticidade da pele.

É um humectante, o que significa que é um agente hidratante que atrai água para a camada externa da pele (estrato córneo), de níveis mais profundos e do ar e, ao hidratar essa camada da pele, o pantenol exerce um efeito revitalizante que resulta numa pele mais suave e macia.

Melhora a função de barreira da pele o que ajuda a manter a integridade retendo a sua humidade logo é recomendado o seu uso em peles sensíveis e também pode fornecer suporte na redução da aparência do envelhecimento.

Bibliografia

1. Camargo, F., Gaspar, L. and Pm, M. (2011) “Skin moisturizing effects of panthenol-based formulations.”, Journal of Cosmetic Science, p.
2. Spada, F., Lui, A. and Barnes, T. (2019) “Use of formulations for sensitive skin improves the visible signs of aging, including wrinkle size and elasticity”, Clinical, Cosmetic and Investigational Dermatology, Volume 12, pp. 415-425. doi: 10.2147/ccid.s212240.

O Ácido Pantoténico (vitamina B5) é uma vitamina do complexo B, precursor da coenzima A, cujo nome é derivado da palavra grega pantothen que significa “de todo o lado”.

É um nutriente essencial necessário na síntese de acetilcolina e melatoni­na, ácidos gordos e produção de energia, além de ser essencial à normal função epitelial que integra a constituição da pele e cabelo.

Deve ser obtido através da ingestão de alimentos como abacate, iogurte, cogumelos, ovos, carne, cereais integrais, legumes e vegetais.

Fatores como stress, gravidez e elevado consumo de alimentos processados podem levar a carência deste nutriente essencial. Apesar de rara, a sua carência pode levar a sintomas não específicos e semelhantes aos da carência de outras vitaminas do complexo B, como fadiga, irritabilidade, apatia, mal-estar geral, náuseas e cólicas abdominais, podendo ainda causar dermatites.

Esta vitamina é utilizada há largos anos na proteção e regeneração da pele e foi comprovado que regula a função de barreira epidérmica através do controlo da proliferação e diferenciação de queratinócitos.

Para além disto, tem uma ação hidratante, permitindo repor e manter os níveis ótimos de hidratação, diminuir a vermelhidão e atuar como um lubrificante na superfície cutânea e como regenerador, o que confere uma aparência suave à pele. Também melhora a força e flexibilidade do cabelo e unhas.

O Ácido Pantoténico contribui na síntese e metabolismo das hormo­nas esteroides, da vitamina D e de neurotransmissores, contribuindo para o bom desempenho mental, para além de contribuir para o normal metabolismo de energia e, consequentemente, para a redução do cansaço e da fadiga. Parece ter, ainda, capacidade de melhorar episódios de ansiedade, stress e depressão.

Bibliografia

1. Camargo FB, Gaspar LR, Campos PMBGM. Skin moisturizing effects of panthenol-based formulations. J Cosmet Sci. 2011.
2. Chawla J, Kvarnberg D. Hydrosoluble vitamins. In: Handbook of Clinical Neurology. ; 2014. doi:10.1016/B978-0-7020-4087-0.00059-0
3. Kobayashi D, Kusama M, Onda M, Nakahata N. The effect of pantothenic acid deficiency on keratinocyte proliferation and the synthesis of keratinocyte growth factor and collagen in fibroblasts. J Pharmacol Sci. 2011. doi:10.1254/jphs.10224SC
4. Haneke E, Baran R. Micronutrients for hair and nails. In: Nutrition for Healthy Skin: Strategies for Clinical and Cosmetic Practice. ; 2011. doi:10.1007/978-3-642-12264-4_14

Com alto poder antioxidante, a vitamina E contribui para aumentar a defesa da pele contra os radicais livres e as agressões externas, como a poluição, a radiação solar, as mudanças bruscas de temperatura, entre outros. Além do efeito fotoprotetor, também atua na hidratação, sendo um ótimo aliado para tratar peles sensíveis e prevenir o envelhecimento precoce.

Promove a integridade da pele e mantém as paredes celulares, aumentando a sua firmeza. Por isso, pode prevenir o envelhecimento precoce e o surgimento de rugas, melhora a cicatrização e algumas condições de pele. Combate o stress oxidativo e os radicais livres, restaurando as propriedades humidificantes naturais da pele diminuindo a perda transdérmica da água.

Bibliografia

1. Pekiner BD. Vitamin E as an antioxidant. J Fac Pharm, Ankara. 2003;32(4):243-267
2. Manela-Azulay M, Bagatin E. Cosmeceuticals vitamins. Clin Dermatol. 2009 Sep;27(5):469-474
3. Thiele JJ, Hsieh SN, Ekanayake-Mudiyanselage S. Vitamin E: critical review of its current use in cosmetic and clinical dermatology. Vol. 31, Dermatologic surgery : official publication for American Society for Dermatologic Surgery [et al.]. 2005
4. Burke K. Interaction of vitamins C and E as better cosmeceuticals. Dermatol Ther. 2007;20(5):314-321
5. Nachbar F, Korting H. The role of vitamin E in normal and damaged skin. J Mol Med. 1995;73(1):7-17

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “Crema Lenitiva Protettiva 50+”
Carrinho de Compras
Nós sabemos! É uma chatice. Infelizmente este produto não está disponível mas se colocar o seu endereço de email abaixo e carregar no botão nós avisamos quando existir stock!
Crema Lenitiva Protettiva 50+
49,50 
Scroll to Top