Dermal Tonic

(4 avaliações de clientes)

35,00 

Um produto de ação tonificante e hidratante para completar o processo de limpeza da pele. Também está indicado para as peles mais sensíveis e delicadas, tem a capacidade de regular os poros e não altera o pH natural da pele.

Apresentação: frasco de 200 ml

REF: 1558 COSMO Categorias: , ,

Informações Complementares

Molhe generosamente dois discos de algodão e espalhe por toda a área batendo levemente. Termine batendo suavemente com os dedos.

Aqua (Water), Propylene glycol, Ethoxydiglycol, Vaccinium myrtillus (Bilberry) leaf extract water, Centaurea cyanus (Cornflower) Flower Water, Hamamelis virginiana (Witch hazel) distillate, Camomilla recutita (Matricaria) water, Camellia sinensis (Green tea) leaf extract water, Hydrolyzed Hyaluronic Acid, Panthenol, Tocopheryl acetate (Vitamin E), Ascorbyl palmitate, Sodium PCA, Lactic acid, Imidazolidinyl urea, Disodium EDTA, Hydroxyethylcellulose, Parfum (Fragrance), Phenoxyethanol, Ethylhexylglycerin, Tetrasodium glutamate diacetate.

Apesar de integralmente sustentada em fontes de referência com reconhecido valor e prestígio nacional e internacional, a informação contida nestas páginas não pode ser considerada como exaustiva ou, apesar de todos os esforços de melhoria contínua, isenta de incorrecções inadvertidas. As plantas e seus derivados utilizados na preparação de cosméticos e suplementos alimentares têm efeitos nutricionais, e podem interagir com medicamentos e outros suplementos. A sua inclusão em produtos para consumo humano obriga à prévia determinação de segurança, porém, essa segurança depende de uma utilização responsável. A Spell One e Biovip não assume qualquer responsabilidade por problemas decorrentes da má utilização da informação disponibilizada. Se precisar de aconselhamento específico, deverá recorrer diretamente a um profissional devidamente qualificado.

Principais Ingredientes

O Ácido Láctico é um alfa-hidroxiácido (AHA), geralmente derivado do leite, mas existem fontes alternativas veganas, como amido de milho fermentado, beterraba, e outros alimentos ricos em açúcar. Tem uma leve ação exfoliante sobre a pele, ao soltar as ligações entre as células mortas da pele para revelar uma tez mais radiante. O ácido láctico ilumina, suaviza e uniformiza o tom da pele, ao mesmo tempo que lhe confere um aspecto mais firme. Ajuda a reduzir o aparecimento de linhas finas, rugas, e manchas escuras. É perfeito para pele baça, desidratada ou seca.

Bibliografia

1. International Journal of Cosmetic Science, April 2020, pages 116-126
2. International Journal of Dermatology, March 2019, ePublication
3. Clinical, Cosmetic, and Investigational Dermatology, October 2018, pages 491-497
4. International Journal of Dermatology, September 2018, ePublication
Molecules, April 2018, ePublication
5. Journal of the American Dental Association, April 2016, pages 255-263

O Ácido Hialurónico, também conhecido por Hialuronato de Sódio, é um glucosaminoglicano natural formado pela ligação de glucosamina com ácido glucorónico. Ocorre naturalmente em vários tecidos e fluidos do corpo, mas principalmente na cartilagem articular e no fluido sinovial, sendo o principal responsável pela sua elevada viscosidade e propriedades lubrificantesprotetoras e amortecedoras na articulação. Sendo também abundante na pele e estando presente em tendões e cavidades serosas. É sintetizado principalmente por fibroblastos e queratinócitos, sendo que os condrócitos dependem dele para deposição da matriz da cartilagem e foi sugerido que desempenhe também um papel na fecundação e imunorregulação.

O Ácido Hialurónico desempenha um papel multifacetado na regulação de diversos processos biológicos, nomeadamente na reparação da pele e regeneração de tecidos. Considerado um humectante por excelência, possui elevada capacidade para absorção de água e consegue penetrar nas camadas superiores da epiderme, permitindo aumentar a coesão entre as células e assim proteger a pele de fenómenos de desidratação, tendo vindo a ser empregue como um dos componentes imperativos em produtos cosméticos e nutricosméticos. Entre as suas funções biológicas incluem-se a retenção de água na matriz, hidratação de tecidos, homeostasia da água, lubrificação, transporte de solutos, migração, divisão e interação celular, adesão neutrófila, reabsorção óssea, cicatrização e agregação e adesão de glóbulos vermelhos. Para além disto, também tem sido usado em cirurgia oftálmica, diagnóstico de cancro, como anti-inflamatório e imunomodulador e no tratamento de articulações inflamadas.
A progressão da osteoartrite com a idade leva ao declínio de ácido hialurónico, motivo pelo qual tem sido usado no tratamento desta patologia, bem como no controlo de dores articulares.

Em suma, o Ácido Hialurónico, naturalmente presente em vários tecidos no corpo humano, tende a diminuir com a idade, como tal desempenha um importante papel na saúde articular, nomeadamente na lubrificação da cartilagem, como antioxidante, analgésico, anti-inflamatório, condroprotetor, evita a degradação da matriz extracelular e tem efeitos de reparação na cartilagem. Para além do seu papel cicatrizante, reparador e hidratante da pele.

Bibliografia

1. Bukhari SNA, Roswandi NL, Waqas M, et al. Hyaluronic acid, a promising skin rejuvenating biomedicine: a review of recent updates and pre-clinical and clinical investigations on cosmetic and nutricosmetic effects. Int J Biol Macromol. 2018.
2. Gupta RC, Lall R, Srivastava A, Sinha A. Hyaluronic acid: molecular mechanisms and therapeutic trajectory. Front Vet Sci. 2019.
3. Gelse K, Pöschl E, Aigner T. Collagens – structure, function, and biosynthesis. Adv Drug Deliv Rev. 2003.
4. Becker LC, Bergfeld WF, Belsito D V., et al. Final Report of the Safety Assessment of Hyaluronic Acid, Potassium Hyaluronate, and Sodium Hyaluronate. Int J Toxicol. 2009.

 

A Centáurea Azul é uma erva anual difundida nativa da Europa. Desde a Idade Média, que a Centáurea é utilizada na cosmética devido às suas propriedades calmantes e suavizantes, especialmente benéficas para os olhos. É reconhecível pelos seus longos caules com folhas delgadas culminando em flores duplas, sublimes e azul violeta Na linguagem das flores, é associada a sentimentos puros e delicados.

 

Bibliografia

1. Chiru, T. 2009. Phytochemical Study of Centaurea cyanus L. Scientific Papers, USAMV Bucharest, Series A, Vol. LII, 2009, ISSN 1222-5339
2.Ghosh, D. & Konishi, T. 2007. Anthocyanins and anthocyanin-rich extracts: role in diabetes and eye function. Asia Pac J Clin Nutr 2007;16 (2):200-208

A hamamélia (Hamamelis virginiana) é um arbusto proveniente da América do Norte, rica em taninos e flavonoides. A presença destas substâncias conferem-lhe importantes propriedades ao nível do tratamento dos distúrbios circulatórios. Os taninos são responsáveis pela ação venotónica, ou seja, ativam o fluxo sanguíneo devido ao aumento da contração dos vasos, veias e capilares. A presença de flavonoides explica os efeitos vasoprotetores sobre a microcirculação, sendo responsáveis pelo aumento da resistência de pequenas veias e capilares e pela diminuição da permeabilidade capilar, da qual resulta o edema e inflamação.⁠

Os extratos e destilados da casca da hamamélia são extensamente utilizados em dermocosmética, no tratamento de eczema atópico, pele irritada e queimadura solar e na promoção da cicatrização via efeito anti-inflamatório. As folhas e casca de hamamélia contêm cerca de 10% de taninos que contribuem para as suas propriedades adstringentes e demonstram efeito em lesões oxidativas induzidas por radicais.

Os polifenóis da planta demonstraram ainda ter elevada atividade antioxidante e efeito inibitório de determinadas enzimas, com potencial benefício no processo de cicatrização de feridas e na proteção da parede das veias e capilares.

Bibliografia

1. Narayana KR, Reddy MS, Chaluvadi MR, Krishna DR. Bioflavonoids classification, pharmacological, biochemical effects and therapeutic potential. Indian J Pharmacol. 2001;33(1):2-16.
2. Deters A, Dauer A, Schnetz E, Fartasch M, Hensel A. High molecular compounds (polysaccharides and proanthocyanidins) from Hamamelis virginiana bark: Influence on human skin keratinocyte proliferation and differentiation and influence on irritated skin. Phytochemistry. 2001;58:949-958. doi:10.1016/S0031-9422(01)00361-2
3. Thring TS, Hili P, Naughton DP. Antioxidant and potential anti-inflammatory activity of extracts and formulations of white tea, rose, and witch hazel on primary human dermal fibroblast cells. J Inflamm. 2011;8:1-7. doi:10.1186/1476-9255-8-27
4. Daz-Gonzlez M, Rocasalbas G, Francesko A, Tourio S, Torres JL, Tzanov T. Inhibition of deleterious chronic wound enzymes with plant polyphenols. In: Biocatalysis and Biotransformation. ; 2012. doi:10.3109/10242422.2012.646676

O Mirtilo (Vaccinium myrtillus), pertencente ao género Vaccinium, é uma espécie de planta espontânea nativa das zonas montanhosas da Europa.

Este fruto é um dos mais reconhecidos pelos seus potenciais benefícios na saú­de, sendo que muitas das suas propriedades benéficas são atribuídas aos seus compostos bioativos – proantocianidinas e antocianinas.

Estes flavonoides produzem pigmentos hidrossolúveis azul, vermelho ou roxo e contêm potenciais propriedades promotoras de saúde como antioxidantes, anti-inflamatórios e pro-cardiovasculares.

Os seus compostos fenólicos também são conheci­dos pelos seus atributos antihipertensores, antimicrobianos e anticancerígenos.

O extrato de Mirtilo demonstrou prevenir ou controlar a formação de fluído intersticial e contribuir para a redistribuição do fluxo sanguíneo na rede microvascular; modular a resistência e permea­bilidade capilar, melhorando a função visual ao promover a adaptação à escuridão após ofuscamento; promover a cicatrização e ainda apresentar atividade antiaterosclerótica e antiulcerosa.

Para além disto, aparenta reduzir a formação de produtos reativos resul­tantes de oxidação, segundo um estudo que avaliou a sua utilização na degeneração macular.

O ácido clorogénico, principal composto polifenólico não flavonoide encontrado nos Mirtilos, exibe diversas características antioxidantes sobre o stress oxidativo induzido pela luz e reduz os níveis de citocinas pro-inflamatórias, além de ter efeitos antienvelhecimento e anti-angiogénicos associados à retinopa­tia diabética, degeneração macular e cancro.

Portanto, as antocianinas e polifenóis dos Mirtilos, apresentam-se como ingre­dientes funcionais importantes na prevenção de doenças crónicas como cancro, obesidade, doenças degenerativas, inflamatórias e cardiovasculares, diabetes, declínio cognitivo, demonstrando também propriedades protetoras da visão, fígado, pulmões, ossos e imunidade.

Particularmente, os seus poli­fenóis têm atividade protetora da retina contra a lesões por peroxidação lipídica induzidas pela luz.

Por outros lado, quando usado em produtos cosméticos de aplicação tópica, o extrato de mirtilo tem demonstrado capacidade de aumentar a hidratação do extrato córneo, mantendo a função de barreira e preservando o pH da pele, além de ter demonstrrado capacidade fotoprotetora, antioxidante e anti-inflamatória. 

Bibliografia

1. Ancillotti C, Ciofi L, Pucci D, et al. Polyphenolic profiles and antioxidant and antiradical activity of Italian berries from Vaccinium myrtillus L. and Vaccinium uliginosum L. subsp. gaultherioides (Bigelow) S.B. Young. Food Chem. 2016;204:176-184. doi:10.1016/j.foodchem.2016.02.106
2. Li R, Wang P, Guo Q qi, Wang Z yu. Anthocyanin composition and content of the Vaccinium uliginosum berry. Food Chem. 2011;125(1):116-120. doi:10.1016/j.foodchem.2010.08.046
3. Faria A, Oliveira J, Neves P, et al. Antioxidant properties of prepared blueberry (Vaccinium myrtillus) extracts. J Agric Food Chem. 2005;53(17):6896-6902. doi:10.1021/jf0511300
4. Prior RL, Cao G, Martin A, et al. Antioxidant Capacity as Influenced by Total Phenolic and Anthocyanin Content, Maturity, and Variety of Vaccinium Species. J Agric Food Chem. 1998;46:2686-2693. doi:10.1021/jf980145d
5. Khandhadia S, Lotery A. Oxidation and age-related macular degeneration: Insights from molecular biology. Expert Rev Mol Med. 2010. doi:10.1017/S146239941000164X
6. Wang Y, Zhao L, Wang C, et al. Protective effect of quercetin and chlorogenic acid, two polyphenols widely present in edible plant varieties, on visible light-induced retinal degeneration in vivo. J Funct Foods. 2017. doi:10.1016/j.jff.2017.02.034
7. Ma L, Sun Z, Zeng Y, Luo M, Yang J. Molecular mechanism and health role of functional ingredients in blueberry for chronic disease in human beings. Int J Mol Sci. 2018;19(2785):1-19. doi:10.3390/ijms19092785
8. Wing-kwan Chu, Sabrina C. M. Cheung, Roxanna A. W. Lau and IFFB. Bilberry (Vaccinium myrtillus L.). Herb Med Biomol Clin Asp. 2011;(2).
9. Tadić VM, Nešić I, Martinović M, et al. Old plant, new possibilities: Wild bilberry (vaccinium myrtillus l., ericaceae) in topical skin preparation. Antioxidants. 2021. doi:10.3390/antiox10030465
10. Piazza S, Fumagalli M, Khalilpour S, et al. A review of the potential benefits of plants producing berries in skin disorders. Antioxidants. 2020. doi:10.3390/antiox9060542

Para a pele tem sido reconhecido como altamente benéfico por dermatologistas já que para a rotina de skincare é capaz de fornecer hidratação, efeito calmante e melhorar a textura da pele.

O pantenol também é chamado de pró-vitamina B5 e é uma forma de vitamina B5, naturalmente encontrada na pele e no cabelo.

Na verdade, a forma biologicamente ativa do pantenol, o ácido pantotênico, existe em todas as células vivasuma vez que é essencial para o metabolismo.

O pantenol como ingrediente cosmético tem muitos usos e sua eficácia tem sido verificada por especialistas que incluem uma capacidade eficaz de hidratação, efeito calmante e aumento da aparência da elasticidade da pele.

É um humectante, o que significa que é um agente hidratante que atrai água para a camada externa da pele (estrato córneo), de níveis mais profundos e do ar e, ao hidratar essa camada da pele, o pantenol exerce um efeito revitalizante que resulta numa pele mais suave e macia.

Melhora a função de barreira da pele o que ajuda a manter a integridade retendo a sua humidade logo é recomendado o seu uso em peles sensíveis e também pode fornecer suporte na redução da aparência do envelhecimento.

Bibliografia

1. Camargo, F., Gaspar, L. and Pm, M. (2011) “Skin moisturizing effects of panthenol-based formulations.”, Journal of Cosmetic Science, p.
2. Spada, F., Lui, A. and Barnes, T. (2019) “Use of formulations for sensitive skin improves the visible signs of aging, including wrinkle size and elasticity”, Clinical, Cosmetic and Investigational Dermatology, Volume 12, pp. 415-425. doi: 10.2147/ccid.s212240.

É um humectante natural derivado do ácido glutâmico obtido através do melaço da cana-de-açúcar. Presente em grande quantidade na pele humana como um dos componentes do NMF (Fator de Hidratação Natural), este umectante ajuda a manter a pele e os cabelos hidratados.

Ajuda a pele a manter-se com uma aparência saudável. Para além de um excelente efeito hidratante, é um ativo seguro, e que o torna especialmente indicado em praticamente qualquer tipo de formulação dermocosmética. Ajuda a prevenir o ressecamento da pele mesmo em condições de baixa humidade.

Bibliografia

1. Batistuzzo, J.A; Itaya, M; Eto, Y. Formulário Médico-Farmacêutico. São Paulo/SP:Tecnopress, 3ª Ed. 2006.
2. Costa A. [Hidratação cutânea]. Revista Brasileira de Medicina. V. 66, p. 15-21, abr. 2009.
3. Draelos, ZD. Cosmecêuticos. Elsevier: Rio de Janeiro 2005. 264 p.
4. Manual de estabilidade: pH de ativos de uso tópico. ANFARMAG. 2011.
5. Wiliiams AC, Barry BH. Penetration enhancers. Advanced Drug Delivery Reviews 2004 56:603-18.

Um dos ativos mais utilizados na indústria cosmética, a vitamina C atua como um poderoso antioxidante, neutralizando os radicais livres que causam o envelhecimento da pele. O nutriente não apenas previne e minimiza rugas e linhas finas, como também reduz cicatrizes, aumenta a hidratação natural e estimula a produção de colagénio e elastina, melhorando a firmeza e combatendo a flacidez.

Tem a capacidade de incentivar a renovação celular. A consequência desta ação é a uniformização da textura e da tonalidade da pele, uma vez que o excesso de melanina é eliminado. Ela neutraliza os radicais livres – moléculas que, quando em excesso, atacam as células saudáveis, causando envelhecimento precoce. Atua como um filtro que impede a radiação solar de alcançar a pele. A melanina é a proteína responsável pelo aumento da pigmentação. Uma vez que a Vitamina C inibe a formação da mesma, contribuindo para uma pele com menos manchas.

Bibliografia

1. Farris PK. Cosmetical Vitamins: Vitamin C. In: Draelos ZD, Dover JS, Alam M, editors. Cosmeceuticals. Procedures in Cosmetic Dermatology. 2nd ed. New York: Saunders Elsevier; 2009. pp. 51–6.
2. Burke KE. Interaction of Vit C and E as better Cosmeseuticals. Dermatol Ther. 2007;20:314–9.
3. Geesin J, Darr D, Kaufman R, Murad S, Pinnell S. Ascorbic acid specifically increases type I and type III procollagen messenger RNA levels in human skin fibroblast. The Journal of Investigative Dermatology. 1988;90:420-424
4. Duarte T, Cooke M, Jones G. Gene expression profiling reveals new protective roles for vitamin C in human skin cells. Free Radical Biology & Medicine. 2009;46(1):78-8734.

4 avaliações de Dermal Tonic

  1. Gina Brito e Mendes (proprietário verificado)

    Muito bom, desde que utilizo a minha pele está mais hidratada e macia

  2. Anónimo (proprietário verificado)

    Hidrata e suaviza a pele, utilizo diariamente.

  3. Anónimo (proprietário verificado)

    Hidrata e suaviza a pele, utilizo diariamente.

  4. Anónimo (proprietário verificado)

    Hidrata e suaviza a pele, utilizo diariamente.

Adicionar uma avaliação
Carrinho de Compras
Nós sabemos! É uma chatice. Infelizmente este produto não está disponível mas se colocar o seu endereço de email abaixo e carregar no botão nós avisamos quando existir stock!
Dermal Tonic
35,00 
Scroll to Top