Intensive Body Cream

33,00 

Um cosmecêutico extremamente eficaz contra os sinais de envelhecimento e protege a renovação da pele. A riqueza da sua fórmula permite suavizar, hidratar e nutrir em profundidade os tecidos. Optimiza a natural produção de colagénio e a regeneração celular. Deve ser usado em conjunto com o Enzypeel Body Exfoliator.

Apresentação: frasco airless de 200 ml

REF: 1572 COSMO Categorias: , ,

Informações Complementares

Espalhe uniformemente no corpo com uma suave massagem até total absorção.

Camellia sinensis (Green tea) leaf extract water, Ethylhexyl stearate, Ethylhexylglycerin, Sucrose Stearate, Glyceryl stearate, Cetyl alcohol, Tocopheryl acetate, (Vitamin E), Glycolic acid, Sodium Hyaluronate, Lactobionic acid, Phosphatidylcholine, Ascorbic acid, Thioctic acid, Maltodextrin, Retinyl palmitate (Vitamin A), Hydrolyzed Hyaluronic Acid, Xanthan gum, Aqua (Water), Phenoxyethanol, Citric acid, Parfum (Fragrance), Tetrasodium glutamate diacetate.

Apesar de integralmente sustentada em fontes de referência com reconhecido valor e prestígio nacional e internacional, a informação contida nestas páginas não pode ser considerada como exaustiva ou, apesar de todos os esforços de melhoria contínua, isenta de incorreções inadvertidas. As plantas e seus derivados utilizados na preparação de cosméticos e suplementos alimentares têm efeitos nutricionais, e podem interagir com medicamentos e outros suplementos. A sua inclusão em produtos para consumo humano obriga à prévia determinação de segurança, porém, essa segurança depende de uma utilização responsável. A Spell One e Biovip não assume qualquer responsabilidade por problemas decorrentes da má utilização da informação disponibilizada. Se precisar de aconselhamento específico, deverá recorrer diretamente a um profissional devidamente qualificado.

Principais Ingredientes

O ácido alfa-lipóico (ALA) é um antioxidante produzido pelo organismo e encontrado em todas as células. Os antioxidantes previnem os danos causados pelos radicais livres às células saudáveis e, por isso, o ácido alfa-lipóico ajuda a reduzir o stress oxidativo. À medida que envelhecemos, a produção desse ácido no organismo diminui.

O uso tópico de ácido alfa-lipóico pode ajudar a prevenir o envelhecimento precoce, porque melhora a secura da pele, aumenta a produção de colágeno e evita os danos causados ​​pelos radicais livres produzidos pela exposição à luz solar.

Essas propriedades do ácido alfa-lipóico podem prevenir e retardar a formação de rugas e linhas de expressão associadas ao fotoenvelhecimento, além de cuidar da saúde da pele em geral.

Bibliografia

1. Sherif, Saly et al. The clinical efficacy of cosmeceutical application of liquid crystalline nanostructured dispersions of alpha lipoic acid as anti-wrinkle. European Journal of Pharmaceutics and Biopharmaceutics. Vol.86. 2.ed; 251-259, 2014
2. Bahare, Salehi; Yakup, Berkay Yılmaz et al. Insights on the Use of α-Lipoic Acid for Therapeutic Purposes. Biomolecules. Vol.9. 8.ed; 1-25, 2019
3. Ahmadi, Mahbubeh; Seyed, Ali Keshavarz et al. Effects of alpha lipoic acid supplementation on serum lipid profile in patients with metabolic syndrome: A randomized, double-blind, placebo-controlled clinical trial. ARYA Atherosclerosis. Vol.18. 4.ed; 1-8, 2022

 

O seu poder antioxidante, junto com o fato de se tratar de uma substância ácida, é ótimo para desintoxicar a pele. Tem a capacidade de eliminar os radicais livres presentes no organismo, livrando-o de compostos tóxicos que se acumulam nas células do corpo. É perfeito quando o objetivo é obter uma pele mais saudável, hidratada e limpa. Tratando-se de um antioxidante, este tem uma boa capacidade de deixar a pele mais pura e renovada.

 

Bibliografia

1. Gougerot-Schwartz A. Alpha-hydroxy-acides et vieillissement cutané. Encycl Méd Chir, Cosmétologie et Dermatologie esthétique, 50-160-C-12, 7p. 2000.
2. Wang X, Med Hypotheses. A theory for the mechanism of action of the alpha-hydroxy acids applied to the skin. Nov;53(5):380-2, 1999
3. Bernstein EF et al. Dermatol Surg. Citric acid increases viable epidermal thickness and glycosaminoglycan content of sun-damaged skin. 23(8):689-94. 1997.
4. Ditre CM et al. J Am Acad Dermatol. Effects of alpha-hydroxy acids on photoaged skin: a pilot clinical, histologic, and ultrastructural study. 34(2 Pt 1):187-95. 1996.
5. Kneedler J, Sky S, Sexton L. Dermatology Nursing. Understanding Alpha-Hydroxy Acids. August 1998/Vol.10/No.4]

O ácido glicólico é um tipo de alfa hidroxiácido produzido a partir da cana de açúcar e outros vegetais doces, utilizado na fabricação de produtos estéticos, uma vez que é facilmente absorvido pela pele, podendo ser indicado para diminuir as linhas de expressão, tratar acnes ou clarear as manchas na pele.

O ácido glicólico é capaz de promover a renovação celular através da esfoliação e descamação da pele, além de estimular a produção de colágeno, garantindo a firmeza e elasticidade da pele.

Além disso, devido à remoção das células mortas, o ácido glicólico facilita a absorção de outras substâncias utilizadas na pele

O ácido glicólico é normalmente indicado para:

  • promover o rejuvenescimento da pele;
  • reduzir ou prevenir as rugas e linhas de expressão;
  • manter a pele firme e macia;
  • diminuir a flacidez;
  • aumentar a hidratação da pele;
  • suavizar e iluminar a pele;
  • manter os poros limpos;
  • promover a esfoliação da pele;
  • prevenir acne e pêlos encravados;
  • corrigir cicatriz
  • causada por acne;
  • clarear manchas na pele causadas por acne, melasma ou pelo sol;
  • aumentar a firmeza e maciez à pele;
  • controlar a oleosidade da pele;
  • ajudar no tratamento de estrias.

Bibliografia

1. Valle-González, E. R.; et al. pH-Dependent Antibacterial Activity of Glycolic Acid: Implications for Anti-Acne Formulations. Sci Rep. 10. 1; 7491, 2020.
2. Campione, E.; et al. Clinical efficacy and reflectance confocal microscopy monitoring in moderate-severe skin aging treated with a polyvinyl gel containing retinoic and glycolic acid: An assessor-blinded 1-month study proof-of-concept trial. J Cosmet Dermatol. 20. 1; 310-315, 2021.
3.Sharad, J. Glycolic acid peel therapy – a current review. Clin Cosmet Investig Dermatol. 6. 281-8, 2013
4.Thomas, J. R.; et al. Effects of topicals on the aging skin process. Facial Plast Surg Clin North Am. 21. 1; 55-60, 2013
FDA. Glycolic Acid. 2016.
5. Yokomizo, Vania Marta F.; Benemod, Tania Maria H.; CHISAKI, Chinobu; BENEMOND, Paula H. Peelings químicos: revisão e aplicação prática. Surg Cosmet Dermatol. Vol 5. 1 ed; 58-68, 2013.

O Ácido Hialurónico, também conhecido por Hialuronato de Sódio, é um glucosaminoglicano natural formado pela ligação de glucosamina com ácido glucorónico. Ocorre naturalmente em vários tecidos e fluidos do corpo, mas principalmente na cartilagem articular e no fluido sinovial, sendo o principal responsável pela sua elevada viscosidade e propriedades lubrificantesprotetoras e amortecedoras na articulação. Sendo também abundante na pele e estando presente em tendões e cavidades serosas. É sintetizado principalmente por fibroblastos e queratinócitos, sendo que os condrócitos dependem dele para deposição da matriz da cartilagem e foi sugerido que desempenhe também um papel na fecundação e imunorregulação.

O Ácido Hialurónico desempenha um papel multifacetado na regulação de diversos processos biológicos, nomeadamente na reparação da pele e regeneração de tecidos. Considerado um humectante por excelência, possui elevada capacidade para absorção de água e consegue penetrar nas camadas superiores da epiderme, permitindo aumentar a coesão entre as células e assim proteger a pele de fenómenos de desidratação, tendo vindo a ser empregue como um dos componentes imperativos em produtos cosméticos e nutricosméticos. Entre as suas funções biológicas incluem-se a retenção de água na matriz, hidratação de tecidos, homeostasia da água, lubrificação, transporte de solutos, migração, divisão e interação celular, adesão neutrófila, reabsorção óssea, cicatrização e agregação e adesão de glóbulos vermelhos. Para além disto, também tem sido usado em cirurgia oftálmica, diagnóstico de cancro, como anti-inflamatório e imunomodulador e no tratamento de articulações inflamadas.
A progressão da osteoartrite com a idade leva ao declínio de ácido hialurónico, motivo pelo qual tem sido usado no tratamento desta patologia, bem como no controlo de dores articulares.

Em suma, o Ácido Hialurónico, naturalmente presente em vários tecidos no corpo humano, tende a diminuir com a idade, como tal desempenha um importante papel na saúde articular, nomeadamente na lubrificação da cartilagem, como antioxidante, analgésico, anti-inflamatório, condroprotetor, evita a degradação da matriz extracelular e tem efeitos de reparação na cartilagem. Para além do seu papel cicatrizante, reparador e hidratante da pele.

Bibliografia

1. Bukhari SNA, Roswandi NL, Waqas M, et al. Hyaluronic acid, a promising skin rejuvenating biomedicine: a review of recent updates and pre-clinical and clinical investigations on cosmetic and nutricosmetic effects. Int J Biol Macromol. 2018.
2. Gupta RC, Lall R, Srivastava A, Sinha A. Hyaluronic acid: molecular mechanisms and therapeutic trajectory. Front Vet Sci. 2019.
3. Gelse K, Pöschl E, Aigner T. Collagens – structure, function, and biosynthesis. Adv Drug Deliv Rev. 2003.
4. Becker LC, Bergfeld WF, Belsito D V., et al. Final Report of the Safety Assessment of Hyaluronic Acid, Potassium Hyaluronate, and Sodium Hyaluronate. Int J Toxicol. 2009.

É um ácido orgânico obtido a partir da oxidação química ou microbiana da lactose. A sua estrutura molecular e funcionalidade assemelham-se às da gluconolactona e outros ácidos (como ácido lático e glicólico). Conhecido como ácido galacto-glicólico, o ácido lactobiônico é composto por uma molécula de galactose unida à outra de gluconolactona (ou ácido glucônico) através de uma ligação semelhante ao éter. Presume-se que essas duas moléculas sejam enzimaticamente liberadas quando da aplicação tópica do ácido lactobiônico, vindo a exercer seus efeitos cosméticos separada e concomitantemente na pele. Possui ação antioxidante, hidratante, rejuvenescedora e cicatrizante. É usado em produtos anti-envelhecimento, contra foto-envelhecimento, hidratantes, anti-acneicos e para peles sensíveis.

Bibliografia

1. M. Pielesz, “Polyhydroxy Acids in Cosmetology,” Cosmetics, 2018, 5(1), 3.
2. R. Moy, N. R. Lock, “Lactobionic acid creams improve the appearance of photoaged skin,” Journal of Cosmetic Dermatology, 2007, 6(3), 181–186.
3. R. H. Wildnauer, “An investigation of the ability of lactobionic acid to hydrate the skin,” Journal of Cosmetic Science, 1997, 48(1), 35–41.
4. J. Weisman et al., “Lactobionic Acid, a Novel Polyhydroxy Acid, Reduces Cutaneous Photoaging in Human Skin,” Dermatologic Surgery, 2008, 34(1), 50–58.

O chá verde é nativo da China e da Índia, sendo extraído das folhas da planta Camellia sinensis.

A planta que dá origem ao chá verde é rica em diferentes componentes como antioxidantes, aminoácidos, cafeína, vitaminas B, E e C e minérios, como cálcio, magnésio, zinco, potássio e ferro.

Além dos benefícios medicinais e à saúde, o chá verde tem aplicações estéticas cada vez mais amplas devido aos benefícios à saúde e aparência da pele.

Os antioxidantes presentes no chá verde desempenham um importante papel no combate ao envelhecimento celular, resultando no rejuvenescimento e prevenção dos sinais.

Essa mesma característica também é responsável por reduzir os danos causados pela radiação solar, minimizando a infiltração dos leucócitos na pele.

Os polifenóis presentes no chá verde inibem a enzima tirosinase que está relacionada à produção de melanina. Dessa forma, um dos benefícios à pele é contribuir no clareamento de manchas e reduzir os impactos negativos da radiação solar.

O chá verde contribui na regulação da produção sebácea, podendo ser um aliado na amenização de cravos e espinhas e desobstrução dos poros que resultam nesses sinais indesejados.

Bibliografia

1. McKay DL, Blumberg JB. “The role of tea in human health: an update.” J Am Coll Nutr. 2002;21(1):1-13.
2. Higdon JV, Frei B. “Tea catechins and polyphenols: health effects, metabolism, and antioxidant functions.” Crit Rev Food Sci Nutr. 2003;43(1):89-143.
3. Elmets CA, Singh D, Tubesing K, et al. “Cutaneous photoprotection from ultraviolet injury by green tea polyphenols.” J Am Acad Dermatol. 2001;44(3):425-32.
4. Chung JH, Han JH, Hwang EJ, et al. “Dual mechanisms of green tea extract (EGCG)-induced cell survival in human epidermal keratinocytes.” FASEB J. 2003;17(13):1913-5.
5. Fujimura Y, Ueda C, Yuan Y, et al. “Comparison of short-term repeated application and long-term dietary supplementation of sunscreen agent, Polypodium leucotomos extract, and green tea extract on the minimal erythema dose.” J Dermatol Sci. 2012;66(1):54-60.
6. Hsu S. “Green tea and the skin.” J Am Acad Dermatol. 2005;52(6):1049-59.

É um fosfolipídio derivado da lecitina de soja que, pela sua propriedade para solubilizar gorduras, é usado há anos no tratamento da hipercolesterolemia.

Naturalmente abundante nas membranas celulares, a fosfatidilcolina decompõe a gordura armazenada nas células de gordura (adipócitos). A solução lipolítica da fosfatidilcolina emulsiona a gordura, permitindo que ela seja absorvida na corrente sanguínea e transportada.

 

Bibliografia:

1. Binic I, Lazarevic V, Ljubenovic M, Mojsa J, Sokolovic D. “Skin ageing: natural weapons and strategies.” Evid Based Complement Alternat Med. 2013;2013:827248.
2. Berman B, Villa AM, Ramirez CC. “Topical phospholipid liposomal spray to decrease dryness, itching, and burning of the skin.” J Cosmet Dermatol. 2007;6(4):217-23.
3. Baroli B. “Penetration of nanoparticles and nanomaterials in the skin: fiction or reality?” J Pharm Sci. 2010;99(1):21-50.
4. Madison KC. “Barrier function of the skin: “la raison d’être” of the epidermis.” J Invest Dermatol. 2003;121(2):231-41.

Derivado da vitamina A, o retinol é um nutriente que atua na renovação celular e na síntese de colágeno, o que o torna um poderoso ativo contra o envelhecimento da pele. Também tem efeito antioxidante, reduz a oleosidade e auxilia a amenizar os danos causados pelos raios UV.

É uma vitamina essencial para todos os tipos de pele, especialmente após os 40 anos, quando a renovação cutânea se torna mais lenta. Entre seus benefícios estão:

  • produção de novas fibras de colágeno e elastina;
  • combate à flacidez;
  • redução de rugas e linhas finas de expressão;
  • aparência de pele mais firme e uniforme, reduzindo espinhas e marcas de acne;
  • ação contra o fotoenvelhecimento.

Bibliografia

1. National Institutes of Health. Fact sheet for health professionals: vitamin A and carotenoids. Disponível em <https://ods.od.nih.gov/factsheets/VitaminA-HealthProfessional/>. Acesso em 21 fev 2023
2. Harvard School of Public Health. The nutrition sorce: Vitamin A. Disponível em: <https://www.hsph.harvard.edu/nutritionsource/vitamin-a/>. Acesso em 22 fev 2022
3. Fu PP, Xia Q, Yin JJ, Cherng SH, Yan J, Mei N, Chen T, Boudreau MD, Howard PC, Wamer WG. (2007) Photodecomposition of vitamin A and photobiological implications for the skin. Photochem Photobiol. 83:09-24
4. Heidenheim M, Jemec GBE (1995) Occupational allergic contact dermatitis from Vitamin A acetate. Contact Dermatitis 33:439

Um dos ativos mais utilizados na indústria cosmética, a vitamina C atua como um poderoso antioxidante, neutralizando os radicais livres que causam o envelhecimento da pele. O nutriente não apenas previne e minimiza rugas e linhas finas, como também reduz cicatrizes, aumenta a hidratação natural e estimula a produção de colagénio e elastina, melhorando a firmeza e combatendo a flacidez.

Tem a capacidade de incentivar a renovação celular. A consequência desta ação é a uniformização da textura e da tonalidade da pele, uma vez que o excesso de melanina é eliminado. Ela neutraliza os radicais livres – moléculas que, quando em excesso, atacam as células saudáveis, causando envelhecimento precoce. Atua como um filtro que impede a radiação solar de alcançar a pele. A melanina é a proteína responsável pelo aumento da pigmentação. Uma vez que a Vitamina C inibe a formação da mesma, contribuindo para uma pele com menos manchas.

Bibliografia

1. Farris PK. Cosmetical Vitamins: Vitamin C. In: Draelos ZD, Dover JS, Alam M, editors. Cosmeceuticals. Procedures in Cosmetic Dermatology. 2nd ed. New York: Saunders Elsevier; 2009. pp. 51–6.
2. Burke KE. Interaction of Vit C and E as better Cosmeseuticals. Dermatol Ther. 2007;20:314–9.
3. Geesin J, Darr D, Kaufman R, Murad S, Pinnell S. Ascorbic acid specifically increases type I and type III procollagen messenger RNA levels in human skin fibroblast. The Journal of Investigative Dermatology. 1988;90:420-424
4. Duarte T, Cooke M, Jones G. Gene expression profiling reveals new protective roles for vitamin C in human skin cells. Free Radical Biology & Medicine. 2009;46(1):78-8734.

Com alto poder antioxidante, a vitamina E contribui para aumentar a defesa da pele contra os radicais livres e as agressões externas, como a poluição, a radiação solar, as mudanças bruscas de temperatura, entre outros. Além do efeito fotoprotetor, também atua na hidratação, sendo um ótimo aliado para tratar peles sensíveis e prevenir o envelhecimento precoce.

Promove a integridade da pele e mantém as paredes celulares, aumentando a sua firmeza. Por isso, pode prevenir o envelhecimento precoce e o surgimento de rugas, melhora a cicatrização e algumas condições de pele. Combate o stress oxidativo e os radicais livres, restaurando as propriedades humidificantes naturais da pele diminuindo a perda transdérmica da água.

Bibliografia

1. Pekiner BD. Vitamin E as an antioxidant. J Fac Pharm, Ankara. 2003;32(4):243-267
2. Manela-Azulay M, Bagatin E. Cosmeceuticals vitamins. Clin Dermatol. 2009 Sep;27(5):469-474
3. Thiele JJ, Hsieh SN, Ekanayake-Mudiyanselage S. Vitamin E: critical review of its current use in cosmetic and clinical dermatology. Vol. 31, Dermatologic surgery : official publication for American Society for Dermatologic Surgery [et al.]. 2005
4. Burke K. Interaction of vitamins C and E as better cosmeceuticals. Dermatol Ther. 2007;20(5):314-321
5. Nachbar F, Korting H. The role of vitamin E in normal and damaged skin. J Mol Med. 1995;73(1):7-17

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “Intensive Body Cream”
Carrinho de Compras
Nós sabemos! É uma chatice. Infelizmente este produto não está disponível mas se colocar o seu endereço de email abaixo e carregar no botão nós avisamos quando existir stock!
Intensive Body Cream
33,00 
Scroll to Top